Um espaço de Debate, Um formular de ideias
 
InícioInício  PortalPortal  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Login  

Compartilhe | 
 

 Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... , 11, 12, 13  Seguinte
AutorMensagem
Beladona



Número de Mensagens : 506
Localização : Algarve
Data de inscrição : 25/09/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Dom 11 Fev - 16:01

Sem dúvida cara V.A.L.F.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Rider



Número de Mensagens : 67
Data de inscrição : 29/08/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Dom 11 Fev - 20:54

Tinha muitas dúvidas que o "sim" ganhasse, mas ainda bem que assim aconteceu.

Finalmente Portugal tem a possibilidade de acabar com o aborto clandestino, o que já não era sem tempo, e de em vez de gastar o dinheiro a obrigar as mulheres a irem a ginecologistas e serem presas, o gaste no aconselhamento em estabelecimentos de saúde e na interrupção da gravidez com condições dignas, se esse for esse seu desejo.

Bem hajam.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
cunha



Número de Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/01/2007

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 0:52

RosaLatina escreveu:
Esta demonstração de mudança de mentalidade, é também um alerta para os monárquicos tradicionalistas, que vivem do passado e não do presente, numa permanente crise de saudosismo e "ira". É preciso cada vez mais ter noção que a monarquia só ganhará expressão, no dia em que os tradicionalistas forem uma minoria, no dia em que esquerda, direita e centro, de diferentes religiões ou Ateus forem a maioria. Mais uma vez o movimento monárquico, fez virar as costas as muitos possíveis "adeptos", demonstrando uma maioria de mentalidade fechada e medieval. Mais uma vez "agredindo", mais uma vez "colado à Igreja", qual rebanho que pensa pela cabeça do pastor.
Bem-hajam


Que eu saiba o pretendente ao trono defendido por V. Excª foi um dos mais activos defensores do não, pelo que lhe pergunto se estará no sitio certo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
cunha



Número de Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/01/2007

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 2:05

Os portugueses votaram e nós perdemos. É simples. Não é o fim do mundo. Não é sequer o fim de "um" mundo ou o fim do "nosso" mundo, ao contrário do que muitos têm dito. Porque há quem tenha perdido mais do que nós: aqueles que, nos próximos anos, deixarão de nascer porque o "sim" venceu. Não os esqueçamos. É por eles que não consigo dar os parabéns a quem se proclama vencedor. Apesar das boas intenções, ninguém ficou a ganhar com esta vitória, ironicamente tão folgada.
A não ser, claro está, o Primeiro-Ministro. Em termos políticos, a vitória do "sim" pertence-lhe por inteiro. Foi ele que prometeu o referendo, que lançou o PS e o Governo na campanha, que deu a cara na recta final para contrariar a recuperação do "não". Arriscou e venceu. Calou o PS que o acusa de governar à direita e secou, durante três meses, a oposição à esquerda. Basta lembrar que, três dias antes do referendo, o Governo anunciou o contrato individual de trabalho para os funcionários públicos da saúde e da educação - e nem o PCP nem o BE esboçaram qualquer crítica. Mais: com o aborto, Sócrates conseguiu, não só silenciar estes partidos, como pô-los objectivamente a trabalhar para o Governo.
De resto, o referendo foi para a extrema-esquerda menos uma consulta popular do que uma página da sua própria agenda. Mostraram-no as declarações, esta noite, de Jerónimo de Sousa e Odete Santos, exaltando as "conquistas de Abril" e a longa luta do PCP pelo aborto livre, ou as de Francisco Louçã a ajustar contas com a Igreja (por meio de um súbito amor à "liberdade de consciência dos católicos"), ou ainda as de Carvalho da Silva, para quem isto é apenas o início de "outras lutas culturais para modernizar Portugal".
Assim sendo, outras guerras virão. Tem razão Vasco Pulido Valente, que o disse há uns dias. Não tem razão o Primeiro-Ministro, embora queira que acreditemos, quando diz que hoje se vira a página do aborto em Portugal. Não só não se vira como, mais tarde ou mais cedo, voltaremos a discutir o prazo do aborto a pedido.
Cá estarei para esse combate, e para outros que se adivinham. 11 de Fevereiro foi apenas uma batalha.

VCM
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
cunha



Número de Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/01/2007

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 2:08

Uma das coisas mais desagradáveis da campanha que hoje culminou no voto, foi ver que nem toda a gente que se envolveu nela directamente percebeu de que lado estava. Explico-me. Amanhã, ou o mais tardar depois de amanhã, o país tal como ele é volta às nossas vidas em todo o seu horrível esplendor. Começa, finalmente, o pior ano da legislatura - não me digam que ainda não tinham percebido a evidência- e aquele que poderá salvar ou crucificar o governo e a maioria do espartano Sócrates. Muita gente válida do lado da denúncia e da crítica impiedosas (não conheço outras) ao manto diáfano de fantasia em que o PS e o governo nos pretende envolver com o seu "reformismo" de opereta - devidamente apaparicado pelo prof. Cavaco - esteve com o governo e com o PS nesta campanha. Por exemplo, ao alinhar pelo "sim", essa gente está implicitamente a dizer que acredita no SNS, nas urgências, nos hospitais e no INEM do dr. Campos, que aceita o negócio privado e chorudo do aborto "privado", que acha sublime essa fada do PS que se chama Maria de Belém, que aceita o autoritarismo do chefe e do seu - para já - mais dilecto colaborador nesse autoritarismo "democrático", o dr. Costa (o tal do "não estão em causa considerações éticas"), etc., etc. Como o "sim" ganhou, convém a esses colaboracionistas perceberem que, acima de tudo, ajudaram a uma vitória deste PS e deste governo. Ou será que, na sua inquietante ingenuidade, imaginam que são as mulheres, humilhadas e ofendidas, que preocupam o senhor engenheiro e respectiva tropa de choque? Que foi por causa delas, coitadinhas, que Sócrates veio a correr da China, declamou piedosa retórica em jantares e conferências, e mandou avançar com o espantalho do "fica tudo na mesma se não me derem o votinho"? A "direita" sai duplamente humilhada desta cena. Primeiro, pelas parvoíces que alguns dos seus prosélitos disseram e escreveram a propósito do aborto. Em segundo lugar, pelos silêncios comprometidos e pelos alinhamentos com espertalhões da política "dura" com quem andaram a dançar o vira em nome de uma "causa" que não lhes pertencia. Ninguém, da "esquerda" ou da "direita", lhes agradecerá o disparate e, muito menos, o frete.

Podem por isso os apoiantes do Sim agradecer a Marcelo Rebelo de Sousa, que teve uma péssima prestação durante toda a campanha, ora aparecendo como "comentador", ora como "partidário", ora como nada. Mais valia ter ficado pela última.


VCM
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
cunha



Número de Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/01/2007

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 2:33

Beladona escreveu:
Caros amigos



Em segundo lugar,na minha modesta opinião ,achei de uma falta de respeito a este forum o senhor cunha, em tempo de reflexão em vésperas de votação e,já exposta em post e tendo o tópico em que estamos sido fechado temporariamente,ter tido o "à vontade" para não dizer outra coisa,de vir,com mais um post,num novo tópico,com direito a votação e tudo,tendo de ter sido barrado pelo moderador Rider.

Enfim,tristezas, não compreendo porquê.

Um abraço da Beladona


Minha Senhora

Uma vez que estou cansado decidi colocar o Dr Pacheco Pereira a responder-lhe a esta sua intervenção.

Cumprimentos

VCM


Citação :
O absurdo deste "dia de reflexão", ainda por cima entendido por muitos de forma mais que restritiva, gera um silêncio incomodado, uma paragem da máquina da informação que não tem qualquer sentido. Induz censura e auto-censura, implica que notícias não possam ser dadas quando acontecem, enfim, um artificialismo sem sentido e sem função. Ainda se podia admitir que houvesse um silêncio das campanhas, que não fosse permitido haver actividades de campanha, comícios, sessões, proclamações e distribuição de panfletos nas ruas. Agora que não haja, sábado ou domingo, notícias de sexta-feira ou de sábado, não tem qualquer sentido.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
IzNoGuud
Admin


Número de Mensagens : 418
Localização : Algarve
Data de inscrição : 05/07/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 2:49

cunha escreveu:
Os portugueses votaram e nós perdemos.

Perderam os defensores do NÃO, não os Portugueses caro amigo.

cunha escreveu:
...aqueles que, nos próximos anos, deixarão de nascer porque o "sim" venceu. Não os esqueçamos.

"Esses", já não iriam nascer de qualquer forma, caro amigo.

Vou encerrar o debate sobre o Aborto e abrir um debate sobre um assunto que advirá sobre esta matéria, no entanto este tópico deverá APENAS servir para debater a EUTANÁSIA.

O SIM ganhou pela decisão dos Portugueses, aparentemente desta vez foram votar mais de aqueles que da última vez ficaram na praia. Quando os defensores do NÃO se lembrarem de fazer novo referendo sobre o aborto, cá estaremos todos para novo debate. Até lá... um até breve.

IzNoGuud

_________________
Não ligues ao que os outros dizem. Escuta-os, analiza e reformula o teu próprio pensar.

Que seja essa a tua força.

Cogito Ergo Sum, I Tego Arcana Dei
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://politica-monarquica.naturalforum.net
cunha



Número de Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/01/2007

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 3:20

IzNoGuud escreveu:
Quando os defensores do NÃO se lembrarem de fazer novo referendo sobre o aborto, cá estaremos todos para novo debate. Até lá... um até breve.

IzNoGuud

Exacto Caro Senhor. Os defensores do Não agora derrotados terão certamente também o mesmos direitos que os defensores do sim tiveram de pedir um novo referendo, uma vez que nenhum dos 2 foi vinculativo, e neste momento existe um empate técnico, ou seja uma vitória do sim contra uma vitória do não. Ambas não vinculativas. Nada portanto mais natural que os defensores do não daqui a 8 anos peçam um novo referendo, e nessa altura logo veremos. Em minha opinião vai depender muito de quem seja o 1º ministro da altura, e qual dos lados ele opte por ajudar. Como saberá há 8 anos o Dr António Guterres, Católico e Humanista, decidiu que o partido a que presidia não participaria em qualquer campanha, e fez saber que votava não. Neste referendo o Engº José Socrates, fez questão, e bem, de cumprir uma promessa eleitoral, e empenhou-se a fundo na campanha pelo sim. Neste momento o sim ganhou, agora vamos pelo menos durante 8 anos poder ver o enriquecimento legal das clinicas Espanholas à custa da desgraça das Portuguesas, uma vez que não acredito que o SNS tenha capacidade / vontade para implementar esta prática. Mas nós estamos vivos e vamos ver o que se vai passar.


Cumprimenta-o o

VCM
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
cunha



Número de Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/01/2007

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 3:24

IzNoGuud escreveu:
Vou encerrar o debate sobre o Aborto
IzNoGuud

Vai encerrar este debate porquê? E a pedido de quem? O debate incomoda-o? Em minha opinião este debate, como outro qualquer deverá encerrar-se apenas por vontade dos participantes, ou seja quando não tiver mais interevenções estinguir-se-à naturalmente. Penso que sejam essas a regras de qualquer forum. De acordo?


Cumprimenta-o o


VCM
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
cunha



Número de Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/01/2007

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 3:26

IzNoGuud escreveu:
cunha escreveu:
Os portugueses votaram e nós perdemos.

Perderam os defensores do NÃO, não os Portugueses caro amigo.


IzNoGuud

Foi exactamente o que eu disse. Se ler bem eu digo "nós perdemos" e quando digo NÓS refiro-me aos defensores da vida.


Cumprimenta-o o


VCM
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
IzNoGuud
Admin


Número de Mensagens : 418
Localização : Algarve
Data de inscrição : 05/07/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 4:00

cunha escreveu:
IzNoGuud escreveu:
Vou encerrar o debate sobre o Aborto
IzNoGuud

Vai encerrar este debate porquê?...

Porque assim o decidi caro amigo.
O objectivo do recente referendo agora tem o direito a ter tempo para demonstrar o que consegue alterar na Sociedade Portuguesa.
Logo EU opto por lhe dar esse mesmo tempo.

Mas não se preocupe... o amigo tem imensos temas onde se perder.

cunha escreveu:
...Em minha opinião este debate, como outro qualquer deverá encerrar-se apenas por vontade dos participantes, ou seja quando não tiver mais interevenções estinguir-se-à naturalmente. Penso que sejam essas a regras de qualquer forum. De acordo?

O amigo tem todo o direito em opinar no que quiser e em ter todas as opiniões que bem intencionar.
Infelizmente não é essa a minha opinião, como já ficou demonstrada.
Logo a decisão está tomada, excepto se outros membros (presentes) do Fórum optarem por seguir a opinião do amigo.
Noto com interesse que o amigo é um membro assíduo de enúmeros Fóruns... há-de mos dizer quais são e com que nicks se tiver tempo para isso Wink

Com um abraço sentido,

IzNoGuud

_________________
Não ligues ao que os outros dizem. Escuta-os, analiza e reformula o teu próprio pensar.

Que seja essa a tua força.

Cogito Ergo Sum, I Tego Arcana Dei
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://politica-monarquica.naturalforum.net
cunha



Número de Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/01/2007

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 4:24

IzNoGuud escreveu:
Porque assim o decidi caro amigo.


O amigo tem todo o direito em opinar no que quiser e em ter todas as opiniões que bem intencionar.
Infelizmente não é essa a minha opinião, como já ficou demonstrada.
Logo a decisão está tomada, excepto se outros membros (presentes) do Fórum optarem por seguir a opinião do amigo.
Noto com interesse que o amigo é um membro assíduo de enúmeros Fóruns... há-de mos dizer quais são e com que nicks se tiver tempo para isso Wink

Com um abraço sentido,

IzNoGuud


Posso então concluir que este tópico será encerrado não se podendo colocar nele mais mensagens? A partir de que data? Ou deverei antes concluir que o Sr IzNoGuud deixará de colcar mensagens neste tópico?

Não sei o que quer dizer com o participar em muitos foruns, pelo que a sua pergunta não faz o menor sentido.


Cumprimenta-o o


VCM
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Beladona



Número de Mensagens : 506
Localização : Algarve
Data de inscrição : 25/09/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 8:07

Caro senhor cunha

Meu caro,já reparei,e não me leve a mal pelas minhas observações,que se cansa muito no que se refere à minha pessoa,mas se quizer não é obrigado a responder-me,faça-o só quando tiver tempo,pois gosto mais de ler as suas próprias observações que as de outras pessoas com que nos presenteia e as quais cita,pois não quero de maneira nenhuma que sofra um esgotamento por minha causa.Quanto à sua citação que subentendo que é como não podia deixar de ser,também a sua opinião,que é respeitável,mas é só a sua opinião,deixando ao critério dos orientadores deste fórum o que bem entenderem fazer,não acha?E,como é um senhor que suponho cumpridor das normas que se promovem nos fóruns,só as deveria de acatar,fossem ou não do seu agrado,mais ainda,quando estamos em casa alheia,não acha?

Um bem haja

Beladona
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Beladona



Número de Mensagens : 506
Localização : Algarve
Data de inscrição : 25/09/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 8:22

Caro Iz

Agora que a propaganda sobre a Descriminalização da IVG já acabou com a vitória do SIM e,se o caro Iz está com a intenção de abrir uma vertente de discussão sobre o que virá a seguir ao referendo da IVG,ou mesmo falar ainda sobre os resultados do mesmo e,como diz está na intenção de fechar este tópico (que tem uma dupla questão),feche-o,abrindo um ou vários sobre essa/as vertente/es,abrindo-se também um outro tópico só sobre a Eutanásia,caso se queira discutir também este tema um pouco polémico.Assim ficam os temas separados.

Meus amigos peço desculpa por estes meus abusos em estar sempre a dar opiniões,é um vício.

Um abraço da Beladona
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
cunha



Número de Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/01/2007

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 9:30

Beladona escreveu:

peço desculpa por estes meus abusos em estar sempre a dar opiniões,é um vício.

Um abraço da Beladona
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Rider



Número de Mensagens : 67
Data de inscrição : 29/08/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 10:04

Cara Beladona,

Da minha parte, esteja sempre à vontade para dar opiniões sobre o que quiser, bem como o resto dos participantes Wink

Bem haja.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
RosaLati
Convidado



MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Seg 12 Fev - 10:52

cunha escreveu:
RosaLatina escreveu:
Esta demonstração de mudança de mentalidade, é também um alerta para os monárquicos tradicionalistas, que vivem do passado e não do presente, numa permanente crise de saudosismo e "ira". É preciso cada vez mais ter noção que a monarquia só ganhará expressão, no dia em que os tradicionalistas forem uma minoria, no dia em que esquerda, direita e centro, de diferentes religiões ou Ateus forem a maioria. Mais uma vez o movimento monárquico, fez virar as costas as muitos possíveis "adeptos", demonstrando uma maioria de mentalidade fechada e medieval. Mais uma vez "agredindo", mais uma vez "colado à Igreja", qual rebanho que pensa pela cabeça do pastor.
Bem-hajam


Que eu saiba o pretendente ao trono defendido por V. Excª foi um dos mais activos defensores do não, pelo que lhe pergunto se estará no sitio certo.

Antes de me despedir deste tópico, não poderei deixar de dar resposta ao caro Sr. Cunha.

Em primeiro lugar, é estranho como o confrade conhece o meu apoio incondicional a SAR. Será que já nos cruzámos por outros Fóruns, cujo seu nick name é diferente?

Em 2º Lugar, sou e serei apoiante de SAR D.Duarte de Bragança que muito prezo e que segue princípios democráticos e apresenta uma postura moderadora, digna de um Rei, como afinal seria se vivêssemos em Monarquia.

Em 3º lugar, não entendo a questão sobre se estou no sítio certo, pois só a forma como questiona me faz questionar se não será o Senhor que se encontra no sítio errado, já que somos um Forum de discussão, para republicanos, monárquicos, muçulmanos, católicos, sem "amarras" a facções partidárias ou ideológicas.

Em 4º lugar, não será, como é elementar em Democracia, que pelo facto de SAR, pensar de uma forma que todos os seus apoiantes pensem da mesma maneira. Quem vir a questão por esse prisma, só poderá ter preguiça mental e não utilizar a sua própria massa encefálica, pensando pela massa encefálica alheia.

Finalizando, estou totalmente de acordo com o caro moderador Rider e com a do Administrador Iz, pelo que este Tópico termina por aqui, abrindo-se um novo Tópico só para a questão da Eutanásia e abrindo-se outros, como aliás já hoje se encontra aberto, novos tópicos, consequentes do passado referendo sobre a IVG.

Bem Hajam
Voltar ao Topo Ir em baixo
IzNoGuud
Admin


Número de Mensagens : 418
Localização : Algarve
Data de inscrição : 05/07/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Qui 16 Ago - 4:18

Creio que já passou tempo suficiente para que cada um possa tecer comentários sobre esta questão...

Um abraço,

IzNoGuud

_________________
Não ligues ao que os outros dizem. Escuta-os, analiza e reformula o teu próprio pensar.

Que seja essa a tua força.

Cogito Ergo Sum, I Tego Arcana Dei
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://politica-monarquica.naturalforum.net
IzNoGuud
Admin


Número de Mensagens : 418
Localização : Algarve
Data de inscrição : 05/07/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Qui 16 Ago - 4:28

Acho que a Igreja Católica acaba de dar um "tiro no próprio pé", quando se lembra de boicotar a Amnistia Internacional, uma Instituíção Laica de cariz Social por esta defender para o Darfur o aborto.

Como é que uma, suposta, Instituíção de cariz Social como a Igreja Católica pode vir atacar outra Instituíção de cariz Social????

Mas, a Amnistia Internacional apenas estava a procurar defender a qualidade de vida de mulheres que são por norma vítimas de violação e se encontram num local onde as condições económicas e sociais dificultam um normal desenvolvimento da vida destas mulheres.

"...Os direitos do bebé são iguais aos das outras pessoas. Tem de haver coerência na aplicação dos direitos humanos...", palavras de D. Carlos Azevedo. Bispo auxiliar de Lisboa.

Mas quais bebés???? Bebés são nascituros e não antes disso. O que se passa antes é que um feto é um proto Ser Humano, ainda não o é, mas está em formação intra-uterina.
Sendo que este passa a ter este estatuto aquando do seu Nascimento, continuando no entanto em Formação mas já não sendo forçosa a ligação à Mãe.

Um abraço,

IzNoGuud

_________________
Não ligues ao que os outros dizem. Escuta-os, analiza e reformula o teu próprio pensar.

Que seja essa a tua força.

Cogito Ergo Sum, I Tego Arcana Dei
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://politica-monarquica.naturalforum.net
Beladona



Número de Mensagens : 506
Localização : Algarve
Data de inscrição : 25/09/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Qui 23 Ago - 15:56

No seguimento do post que coloquei no "Espaço Actualidade" deste fórum, a 14-08-07, e à qual o caro Izz já respondeu aqui, e que se referia a uma notícia que saiu no DN da jornalista Helena Tecedeira e que se intitulava:

Amnistia Internacional desafia Igreja Católica sobre o aborto.

Passo a transcrever uma notícia que saiu ontem na Lusa (22-08-07) da jornalista SB, referente à notícia já acima citada e dando continuidade à mesma:

Aborto:Amnistia nega promover interrupção de gravidez, em resposta a críticas do Vaticano

Londres, 22 Ago. (Lusa)- A Amnistia Internacional negou hoje que se dedique a promover o aborto como "direito universal", em resposta ao secretário de Estado do Vaticano, Tarcísio Bertone, que segunda-feira criticou a organização por defender o aborto em caso de violação.

Na segunda-feira, o Vaticano defendeu que uma mulher que foi violada não deve abortar porque está em causa a preservação de uma vida humana.

Em entrevista à Rádio Vaticana, Tarcísio Bertone insistiu que "não se pode eliminar a vida como tal" e acrescentou que os fetos "são pessoas, sujeitos humanos com toda a sua dignidade".

Em comunicado divulgado hoje em Londres, a Amnistia Internacional (AI) defendeu o direito da mulher para decidir "livre de medo, ameaça ou coerção" sobre "as eventuais consequências da violação e outras graves violações dos seus direitos".

A AI reafirmou no comunicado a sua política, adoptada em Abril, de apoio à despenalização do aborto e à garantia, por parte das mulheres, de que "tenham acesso aos serviços de saúde quando surjam complicações" relacionadas com a interrupção da gravidez.

Ao mesmo tempo, a organização humanitária disse defender "o direito das mulheres ao aborto, dentro dos limites razoáveis do período de gestação, quando a sua saúde ou vida estiverem em perigo".

Numa reunião do Conselho Internacional realizada a semana passada no México, a direcção da AI expressou o seu compromisso de reforçar o "empenho na prevenção de gravidezes não desejadas e de outros factores que obrigam a mulher a abortar".

A AI reconhece, no entanto, o direito do Vaticano de manter os seus pontos de vista sobre o aborto e assinalou que há uma série de temas em que as duas instituições podem colaborar, nomeadamente campanhas contra a pena de morte, a favor da libertação de presos políticos e abolição da tortura.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Reiziger



Número de Mensagens : 148
Data de inscrição : 20/12/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Sab 25 Ago - 16:27

IzNoGuud escreveu:
...Como é que uma, suposta, Instituíção de cariz Social como a Igreja Católica pode vir atacar outra Instituíção de cariz Social????...

Da mesma forma que a AI, que supostamente é uma instituição de cariz social, ataca a Igreja, na sua obra social, quando discorda da sua posição. Parece-me óbvio. Qual é o teu problema?

Se tens liberdade de emitir opinião contra outros monárquicos, porque raio não hão-de os outros monárquicos tecer opiniões contra ti? Penso que é o exemplo adequado.

As tribos vítimas são o quê mesmo, cristãs? Animalistas? Muçulmanas? Pois, parece que são muçulmanas não árabes.....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Beladona



Número de Mensagens : 506
Localização : Algarve
Data de inscrição : 25/09/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Dom 26 Ago - 18:58

Não notei que AI tenha atacado a Igreja Católica, simplesmente se tentou supostamente defender das acusações que lhe foram imputadas pelo Vaticano.

É claro que tanto o Vaticano como a AI têm todo o direito de ter as suas opiniões, manifestá-las publicamente e a defende-las.

Mas também acho que têm de ter responsabilidade do que dizem e tentam impôr e alertar ao Mundo, até porque um é o representante máximo da Igreja Católica e a outra é uma entidade de cariz religiosa e social de apoio aos mais desfaforecidos e silenciosos ou silenciados, os chamados invisíveis que vagueiam e existem em cada vez maior número por este mundo. E os apoios humanitários dão-se, independentemente de as vítimas serem da crença A, X ou Y, ou de o país a que pertencem ser Cristão,Islâmico,Budista ou de outra qualquer crença. Temos de nos posicionar no ambiente e na situação, para podermos formalizar uma qualquer crítica,e é assim que as entidades de apoio humanitário actuam em princípio.

Como já cheguei à conclusão de ter de pensar bem antes de expôr a minha linha de pensamento destas situações, pois, como ateia confessa, sou supostamente conotada e adjectivada de tudo e mais alguma coisa, sendo a mais básica ou simples, a de ver as coisas de um ponto de vista parcial e de perseguição e limitação aos crentes, enfim, de não ter uma iluminação divina. Quero deixar claro que não tenho qualquer intenção de ofender, menosprezar as crenças de ninguém ou da Igreja em si. Pois se quero ser respeitada, tenho identicamente de respeitar os outros. Mas como nunca me calei, e sempre disse o que pensava, não é agora que o vou deixar de fazer... Adiante.

O que a meu ver acho incompreensível é o facto de a Igreja Católica comparar um feto a uma criança ou a uma mulher. Para ela, os dois têm os mesmos direitos. Continuo a não compreender como é que se podem pôr os interesses de um feto à frente dos da própria mãe. Mãe essa que não o deseja devido às mais variadas circunstâncias em que viveu e vive a situação, e que a leva a fazer um aborto, num mundo muçulmano em que estas são ostracisadas, como são os casos focados nas notícias já descritas.

Ser-se humano, é preservar-se um feto mesmo contra vontade, apesar deste ser algo que depende do corpo materno que o acolhe e alimenta, segundo a Igreja. Mas, ser-se humano, é também, apoiar-se e encaminhar-se uma mulher que vive num mundo em guerra, miserável e ainda por cima muçulmano. Em que situação se é mais humano? Ou então, por sermos cristãos estas mulheres e estes dramas que se lixem, pois eu quero é o meu lugar assegurado nos céus, mas para isso tenho de estar de bem com o Vaticano e a Santa Madre Igreja. E até como se tratam de paises de índole muçulmana, eles que se matem, pois quanto menos pessoas destas existirem, melhor para nós ocidentais...Não há sentimentos? Não existe sensibilidade?

O Vaticano e os seus representantes, compostos na sua maioria por homens que nunca formaram uma família, que têm a comodidade de um rendimento monetário certo para sobreviverem no dia-a-dia, tentam impôr aos seus crentes que é pecado usar-se o preservativo (com os contratempos da proliferação de uma doença sem cura como a sida), é também pecado a interrupção de uma gravidêz, mesmo que ponha em risco a vida da mãe, quer tenha sido devido a uma violação ou por outro factor que a mãe aponte (o feto, volto a dizer, tem pelos vistos mais direitos que a mãe, onde está aqui a dignidade humana?), e como estas outras situações, já não falando na homossexualidade, eutanásia e outras situações.

O Vaticano tem de descer humildemente até junto dos que sofrem, dos desvalidos e miseráveis da sociedade e de toda uma mó humana, cada vez maior, que além do material, também precisa de alimento espiritual. Provavelmente foi por ver tanta indiferença da Igreja Católica e do Vaticano, que a madre Teresa de Calcutá teve nos seus últimos 50 anos de vida,´variadíssimos momentos de dúvidas e crises de fé, segundo cartas da própria agora expostas em público, e que vão ser publicadas em livro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Reiziger



Número de Mensagens : 148
Data de inscrição : 20/12/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Dom 26 Ago - 21:14

Beladona escreveu:
Não notei que AI tenha atacado a Igreja Católica, simplesmente se tentou supostamente defender das acusações que lhe foram imputadas pelo Vaticano.

Chama-se a isto contrapôr argumentos! A defesa também é um ataque!!! Isto num sentido textual de:

-Nós pensamos assim.
-Mas nós não e achamos que vocês estão errados.
-Pois, mas nós pensamos assim porque achamos que quem está errado são vocês.

Qual é a dúvida?

Beladona escreveu:
É claro que tanto o Vaticano como a AI têm todo o direito de ter as suas opiniões, manifestá-las publicamente e a defende-las.

A bem da democracia e da liberdade de expressão qualquer um indivíduo ou colectivo sofre da premissa de poder ser criticado. Também não vejo problema algum! Pelos vistos a Beladona também não! Wink

Beladona escreveu:
Mas também acho que têm de ter responsabilidade do que dizem e tentam impôr e alertar ao Mundo, até porque um é o representante máximo da Igreja Católica e a outra é uma entidade de cariz religiosa e social de apoio aos mais desfaforecidos e silenciosos ou silenciados, os chamados invisíveis que vagueiam e existem em cada vez maior número por este mundo. E os apoios humanitários dão-se, independentemente de as vítimas serem da crença A, X ou Y, ou de o país a que pertencem ser Cristão,Islâmico,Budista ou de outra qualquer crença. Temos de nos posicionar no ambiente e na situação, para podermos formalizar uma qualquer crítica,e é assim que as entidades de apoio humanitário actuam em princípio.

A AI não é uma instituição de cariz religioso, penso que queria dizer humanista.

E exactamente por a Igreja ser responsável com a sua doutrina é que disse o que disse. Criticou o que tinha a criticar e louva o que tem de louvar, assim como a AI critica o que tem de criticar e louva o que tem de louvar, no mais profundo respeito pela posição de ambas as partes, sendo que a par da actividade directa onde ambas actuam, existe um estreito intercâmbio entre as duas Instituições.

Qual é a irresponsabilidade?

Beladona escreveu:
Como já cheguei à conclusão de ter de pensar bem antes de expôr a minha linha de pensamento destas situações, pois, como ateia confessa, sou supostamente conotada e adjectivada de tudo e mais alguma coisa, sendo a mais básica ou simples, a de ver as coisas de um ponto de vista parcial e de perseguição e limitação aos crentes, enfim, de não ter uma iluminação divina. Quero deixar claro que não tenho qualquer intenção de ofender, menosprezar as crenças de ninguém ou da Igreja em si. Pois se quero ser respeitada, tenho identicamente de respeitar os outros. Mas como nunca me calei, e sempre disse o que pensava, não é agora que o vou deixar de fazer... Adiante.

Ó minha cara amiga, que muito prezo, lá por eu ser chato consigo não quer dizer que não farei tudo o que estiver ao meu alcance para que a Beladona possa falar sempre que queira e dizer o que lhe vai na alma. Não tenho é de concordar com tudo o que diz e de igual forma reservo-me ao direito e também ao dever de a confrontar!! Parece-me uma relação justa, adulta e respeitável não acha?

Aliás, penso que até já lhe dei garantias de facto do que acabei de lhe escrever!

Beladona escreveu:
O que a meu ver acho incompreensível é o facto de a Igreja Católica comparar um feto a uma criança ou a uma mulher. Para ela, os dois têm os mesmos direitos. Continuo a não compreender como é que se podem pôr os interesses de um feto à frente dos da própria mãe. Mãe essa que não o deseja devido às mais variadas circunstâncias em que viveu e vive a situação, e que a leva a fazer um aborto, num mundo muçulmano em que estas são ostracisadas, como são os casos focados nas notícias já descritas.

Minha cara não faça da sua incompreensão um problema dos outros!

Primeiro já sabe qual a posição da Igreja a respeito do aborto, logo não é novidade. Da mesma forma que a Beladona pensa da forma que pensa, concerteza irá defender a possibilidade de outros acharem exactamente o inverso, isto, claro está, no sentido mais amplo de liberdade de opinião e respeito pela individualidade intelectual.

Segundo se ler nas entrelinhas pode ser que veja a mensagem plena. Não é estimulando o aborto que se resolve o problema do Darfur nem se mitiga a desgraça que o envolve. Se comparar o Darfur a uma doença sistémica, não é por lhe aplicar um enema que resolve a doença. Na melhor das hipóteses vai é cobrir de diarreia uma situação que já é uma verdadeira, passe a expressão, merda.

Duma forma velada eu tentei chamar à atenção que aquelas mulheres são muçulmanas. Beladona qual é a sentença para o crime de aborto na cultura muçulmana? Não estará a AI com a sua atitude humanista de mitigação dos males dos pobres, possivelmente, a sentenciar estas mulheres à morte?

Repare que quanto ao aborto os teólogos muçulmanos desde tempos imemorias tem assente que depois dos 4 meses é crime de homicídio e antes disso depende do país, uns aceitam a violação como uma razão plausível, mas outros dizem assim: "and kill not your children for fear of want. We provide sustenance for them and for you" 17:31.

Num país atrasado como acha que o Imã local vai interpretar este tipo de abortos, ainda por mais feitos pela mão de infiéis?

Efectivamente sejamos responsáveis e tenhamos em presença as diferenças culturais.

Beladona escreveu:
Ser-se humano, é preservar-se um feto mesmo contra vontade, apesar deste ser algo que depende do corpo materno que o acolhe e alimenta, segundo a Igreja. Mas, ser-se humano, é também, apoiar-se e encaminhar-se uma mulher que vive num mundo em guerra, miserável e ainda por cima muçulmano. Em que situação se é mais humano? Ou então, por sermos cristãos estas mulheres e estes dramas que se lixem, pois eu quero é o meu lugar assegurado nos céus, mas para isso tenho de estar de bem com o Vaticano e a Santa Madre Igreja. E até como se tratam de paises de índole muçulmana, eles que se matem, pois quanto menos pessoas destas existirem, melhor para nós ocidentais...Não há sentimentos? Não existe sensibilidade?

Penso que se está a ler o que escrevi acima, por esta altura já deve estar a morder o lábio...e ainda não acabei!

Se efectivamente fosse o interesse da Igreja em levar em linha de conta que as mulheres são muçulmanas e se isso que escreveu fosse verdadeiro, então que se lixassem, abortem para aí aos centos que é menos isso que temos de muçulmanos. Falta de sentimento e sensibilidade sua.

Ser-se mais humano, pelo que li e interpretei, é: preocupem-se menos em fazer abortar essas mulheres e preocupem-se mais em acabar com com a guerra, que essa sim é o mal subjacente. Não matem a morte com mais morte, mas defendam o caminho da vida e da paz. Parce-lhe sensível e com sentimentos?

Beladona escreveu:
O Vaticano e os seus representantes, compostos na sua maioria por homens que nunca formaram uma família, que têm a comodidade de um rendimento monetário certo para sobreviverem no dia-a-dia, tentam impôr aos seus crentes que é pecado usar-se o preservativo (com os contratempos da proliferação de uma doença sem cura como a sida), é também pecado a interrupção de uma gravidêz, mesmo que ponha em risco a vida da mãe, quer tenha sido devido a uma violação ou por outro factor que a mãe aponte (o feto, volto a dizer, tem pelos vistos mais direitos que a mãe, onde está aqui a dignidade humana?), e como estas outras situações, já não falando na homossexualidade, eutanásia e outras situações.

A Igreja não reitera a impossibilidade do aborto na situação de risco de vida da mãe.

Tambem não vale a pena extrapolar e generalizar, porque estamos a falar do Darfur, de mulheres muçulmanas onde pela sua própria religião e meios económicos, preservativos é o que menos lhes faz falta, mais a mais porque, neste caso, têm de pedir ao violador para o usar.... Rolling Eyes

Que eu saiba o direito de opinião não está dependente do estado civil nem do rendimento per capita. Está sim assente nos valores democráticos da sociedade, que se são seus por direito próprio também o são aos padres. Se a Beladona é livre de escrever e defender o que quiser não pode sob esse tipo de argumentação tentar imputar falta de capacidade dos outros de usarem dos mesmos direitos. Tão livre é a Beladona de defender o aborto por ser mulher, como eu de o negar por ser homem, a diferença só nos faz iguais.

Ao contrário daquilo que a Beladona pensa, a Igreja e os seus agentes não tentam impôr aos seus crentes eja o que for. Já lá vai esse tempo há muito tempo. A Igreja posicionasse e aconselha sendo do livre arbítrio dos seus crentes se querem ou não seguir o mesmo. É pedra fundamental do Catolicismo o livre arbítrio, logo nada é imposto, mas sim aconselhado.

Beladona escreveu:
O Vaticano tem de descer humildemente até junto dos que sofrem, dos desvalidos e miseráveis da sociedade e de toda uma mó humana, cada vez maior, que além do material, também precisa de alimento espiritual. Provavelmente foi por ver tanta indiferença da Igreja Católica e do Vaticano, que a madre Teresa de Calcutá teve nos seus últimos 50 anos de vida,´variadíssimos momentos de dúvidas e crises de fé, segundo cartas da própria agora expostas em público, e que vão ser publicadas em livro.

Não conjecture acerca do que não sabe. A pulso da Igreja Católica milhões de desvalidos e miseráveis tem tudo isso que afirma, mas que a Beladona não vê. Infelizmente no seu caso, e desculpe-me ter de lho dizer assim, julgo ser um caso grave de miopia, pois que está claramente à vista de todos.

Como pode a Beladona julgar ou tecer comentários sobre as crises de Fé da Madre Teresa de Calcutá pela leitura de 4 frases, em excerto, numa motícia de Jornal. Qual é o contexto das ditas frases? Cara Beladona antes de mais seja honesta consigo própria, olhe um pouco mais além daquilo que lhe é dado a comer pelos media, antes de assumir como verdade aqulo que mais não é que a opinião dum jornalista e seu jornal.

A Beladona tem o típico discurso de não querer ter a sua vida ditada pela Igreja. É um direito que lhe assiste e eu respeito-o, se é o melhor que encontra para a sua vida, pelo sagrado nome das alminhas faça como muito bem achar e lhe aprouver melhor, mas agora faça-me um favor não dê palpites sobre o que a Igreja deve ou não fazer por uma questão de coerência. Isto simplesmente porque é feio tentar fazer aos outros o que não quer que lhe façam a si.

Os crentes são pessoas iguais a si que decidem as coisas da sua própria vida, tal como a Beladona, como muito lhes dá na real gana, não nos tome por estúpidos dominados pela mão viviada da Igreja, porque isso não é uma imposição é uma opção nossa e como tal, volto-lhe a dizer, é feio querer sugerir que a sua moral é melhor que a nossa, que os seus níveis de humanismo são superiores e que as suas posições são mais correctas. Ao faze-lo só se está a prejudicar a si mesma, porque deixa clara a ideia que quem aqui está a tentar impôr seja o que for é a Beladona, não eu nem a Igreja.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
IzNoGuud
Admin


Número de Mensagens : 418
Localização : Algarve
Data de inscrição : 05/07/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Ter 28 Ago - 4:36

Reiziger escreveu:
Chama-se a isto contrapôr argumentos! A defesa também é um ataque!!! Isto num sentido textual de:
...
Qual é a dúvida?

Não meu caro, chama-se a isso responder.
Por muito que a defesa igualmente possa ser um ataque, uma resposta implica sempre primeiro uma pergunta ou afirmação. Já uma defesa (atacante) não!
Por isso... há diferenças e neste caso a postura atacante partiu/começou inteiramente da Igreja Católica.

Reiziger escreveu:
A bem da democracia e da liberdade de expressão qualquer um indivíduo ou colectivo sofre da premissa de poder ser criticado. Também não vejo problema algum! Pelos vistos a Beladona também não! Wink

Nem ninguém vê algum problema Wink

Reiziger escreveu:
A AI não é uma instituição de cariz religioso, penso que queria dizer humanista.

E exactamente por a Igreja ser responsável com a sua doutrina é que disse o que disse. Criticou o que tinha a criticar e louva o que tem de louvar, assim como a AI critica o que tem de criticar e louva o que tem de louvar, no mais profundo respeito pela posição de ambas as partes, sendo que a par da actividade directa onde ambas actuam, existe um estreito intercâmbio entre as duas Instituições.

Qual é a irresponsabilidade?

Críticas podem e devem ser feitas, agora procurar vetar ou fechar instituições de solidariedade laicas, por estas não agirem conforme os parâmetros de quem critica é um pouco... desnecessário.

A Agência em causa faz parte das Nações Unidas, logo é ou deve ser isenta e trabalhar em prol da melhoria das condições humanas de forma generalizada sem olhar a quem. As diferentes crenças espalhadas pelo mundo igualmente terão as suas próprias agências de solidariedade, como é o caso da Igreja Católica, mas estas regem-se pelos parâmetros religiosos da crença à qual pertencem, logo já não se podem afirmar como isentas, por muito que até o possam ser.

Ou seja, que acho que é competência da Igreja Católica a função de criticar ou pedir à frisada Agência das Nações Unidas que não promova o recurso ao Aborto no território em causa, seria o mesmo que eu enquanto Ateu criticar tomadas de posição sobre assuntos civis a pessoas que se baseiam em parâmetros religiosos pessoais. Mas creio que já ultrapassa
o âmbito da Igreja Católica o de procurar boicotar propositadamente o funcionamento dessa mesma Agência das Nações Unidas. Pois todos nós sabemos que se para uns, um pedido da Santa Sé não passa disso mesmo, para outros esse mesmo pedido é uma imposição por assim verem e darem importância aos comunicados da mesma e que corresponderia a eu enquanto Ateu promover activamente a expulsão da Igreja Católica de Portugal (coisa que o meu amigo Pedro pode ficar descansado na eventualidade de já estar a bufar desse lado do ecrã) ou aquando do estalar de um novo conflito algures no mundo que por acaso envolva cristãos e outra crença (como foi o caso de Timor por exemplo e há outros casos), a Igreja solicitar a protecção das populações e a rápida intervenção de Forças das Nações Unidas e as Nações Unidas responderem "...vão lá vocês..." Smile Seria deveras engraçado (apesar de trágico para as populações em causa).

A Igreja Católica tem muita força, é certo que nuns sítios mais que noutros, mas tem muita força e capacidade de influência. Logo não pode andar por aí a fazer declarações como as que fez, não pensando nas repercussões que tais declarações possam ter.
O Saddam por andar a "brincar" ao afirmar que tinhas Bombas Atómicas e outras armas de destruição maciça, apanhou com uma invasão do Iraque por forças Internacionais (tenha sido esta ou não a real razão para tal).

Há que ser responsável quando se está em posições públicas ou de capacidade de influência, se tal seria o que esperaríamos de um Soberano de Portugal, é o que esperamos dos Políticos Portugueses, porque não deveremos igualmente esperar de uma instituição como a Igreja Católica?

Reiziger escreveu:
Minha cara não faça da sua incompreensão um problema dos outros!

E eu que pensava que na maioria dos casos era isto que eu via Wink

Reiziger escreveu:
Primeiro já sabe qual a posição da Igreja a respeito do aborto, logo não é novidade. Da mesma forma que a Beladona pensa da forma que pensa, concerteza irá defender a possibilidade de outros acharem exactamente o inverso, isto, claro está, no sentido mais amplo de liberdade de opinião e respeito pela individualidade intelectual.

Segundo se ler nas entrelinhas pode ser que veja a mensagem plena. Não é estimulando o aborto que se resolve o problema do Darfur nem se mitiga a desgraça que o envolve. Se comparar o Darfur a uma doença sistémica, não é por lhe aplicar um enema que resolve a doença. Na melhor das hipóteses vai é cobrir de diarreia uma situação que já é uma verdadeira, passe a expressão, merda.

Mas meu caro, uma situação Real resolve-se com o recurso a respostas reais ou baseadas em crenças?
Se ainda não se consegue resolver o problema do Darfur, uma coisa é nada fazer para que este não piore e outra é tentar pelo menos impedir que este piore. Sendo que apenas dar apoio alimentar não impede que o mesmo problema piora, já a defesa do recurso ao aborto numa terra em que a explosão demográfica é um problema, as condições económicas para a sustentação da actual população já são virtualmente para não dizer totalmente inexistentes, pelo menos serve de atenuação ou procura da mesma enquanto não surge uma solução para este problema, não acha?

Reiziger escreveu:
Duma forma velada eu tentei chamar à atenção que aquelas mulheres são muçulmanas. Beladona qual é a sentença para o crime de aborto na cultura muçulmana? Não estará a AI com a sua atitude humanista de mitigação dos males dos pobres, possivelmente, a sentenciar estas mulheres à morte?

Repare que quanto ao aborto os teólogos muçulmanos desde tempos imemorias tem assente que depois dos 4 meses é crime de homicídio e antes disso depende do país, uns aceitam a violação como uma razão plausível, mas outros dizem assim: "and kill not your children for fear of want. We provide sustenance for them and for you" 17:31.

E o meu amigo crê que estes não terão conhecimento dessa situação? Sabe qual era o âmbito da proposta da AI sobre o aborto neste território? Eu não... se calhar não violava os trâmites religiosos dos mesmos, como queres dar a entender. Nem eu acreditava que uma população supostamente tão crente aceitasse violar os seus trâmites religiosos apenas por a AI assim o entender melhor. Creio que não estamos na posse de toda a informação.

Reiziger escreveu:
Efectivamente sejamos responsáveis e tenhamos em presença as diferenças culturais.

Isto agora remetia-me para outra discussão noutro espaço... mas vou-me conter lol

Reiziger escreveu:
Ser-se mais humano, pelo que li e interpretei, é: preocupem-se menos em fazer abortar essas mulheres e preocupem-se mais em acabar com com a guerra, que essa sim é o mal subjacente. Não matem a morte com mais morte, mas defendam o caminho da vida e da paz. Parce-lhe sensível e com sentimentos?

Não, definitivamente não. Ser-se Humano é procurar-se mitigar a dor e impedir que esta alastre enquanto não surge uma resposta para o problema em questão.
O que acabaste de dizer é que não se devem dar analgésicos a quem sofra de uma doença incurável que provoque dor, como é o caso de alguns cancros, por esta ser ainda incurável, gastando-se os recursos gastos nesses analgésicos na pesquisa da eventual cura para a tal doença.

Quem está a ser mais humano. Aquele que dá analgésicos e procura uma cura com menos recursos ou aquele que procura a cura com a totalidade dos recursos?

Reiziger escreveu:
A Igreja não reitera a impossibilidade do aborto na situação de risco de vida da mãe.

Mas em caso de dúvida entre a vida do feto e a da mãe, a Igreja advoga a salvação da vida do feto.

Reiziger escreveu:
Tambem não vale a pena extrapolar e generalizar, porque estamos a falar do Darfur...

Pode-se falar do Darfur enquanto caso específico, mas igualmente se pode ou deve criticar a postura generalizada da Igreja Católica sobre estes temas, como tu mesmo afirmaste se não concordarmos com estes. E a Igreja Católica está na linha de fogo nos temas que a Beladona abordou pela sua intransigência em sequer considerar equacionar o estudo dos mesmos. Note-se que há membros do Clero que são contra esta posição, embora a aceitem, da Igreja Católica sendo um destes muito conhecido de todos nós.

Reiziger escreveu:
Ao contrário daquilo que a Beladona pensa, a Igreja e os seus agentes não tentam impôr aos seus crentes eja o que for. Já lá vai esse tempo há muito tempo. A Igreja posicionasse e aconselha sendo do livre arbítrio dos seus crentes se querem ou não seguir o mesmo. É pedra fundamental do Catolicismo o livre arbítrio, logo nada é imposto, mas sim aconselhado.

LOL... o que chamas a "...o cardeal Renato Martino, presidente do Conselho Pontifício, Justiça e Paz, ameaçou mesmo apelar aos católicos de todo o mundo para boicotarem a Amnistia caso esta mantenha a posição sobre o aborto...? Ah ok... diz "apela" e não "ordena"... tens toda a razão, faz a diferença do mundo.
Quer dizer que se eu "apelar" a alguém para matar a pessoa X, não terei qualquer culpa directa ou não, se alguém efectivamente matar essa pessoa X... interessante Wink

Reiziger escreveu:
Não conjecture acerca do que não sabe. A pulso da Igreja Católica milhões de desvalidos e miseráveis tem tudo isso que afirma, mas que a Beladona não vê. Infelizmente no seu caso, e desculpe-me ter de lho dizer assim, julgo ser um caso grave de miopia, pois que está claramente à vista de todos.

E como é que o amigo sabe ou deixa de saber se a Beladona sabe ou não sabe sobre o que está a falar?
e deixe-me perguntar sobre, como é que o amigo sabe que aquilo que a Igreja Católica lhe diz corresponde à verdade? Costuma ir verificar a informação que lhe é passada?

Reiziger escreveu:
Como pode a Beladona julgar ou tecer comentários sobre as crises de Fé da Madre Teresa de Calcutá pela leitura de 4 frases, em excerto, numa motícia de Jornal...

E qual seria o problema da Sra. ter tido crises de fé nos seus últimos 50 anos de vida? Isso em alguma coisa inviabiliza o trabalho meritório da mesma? Sinceramente creio que até dá mais valor ao mesmo, pois pelo menos assim podemos considerar que apesar deste ter começado por um chamamento/apelo esta continuou-o apesar desse chamamento/apelo ter sido questionado pela mesma nos seus últimos 50 anos. Demonstrando assim que se o fez, em parte, foi por acreditar na necessidade do seu trabalho e não apenas por "intervenção divina".

Para além de que, se não devemos acreditar em tudo quanto lemos, conforme queres dar a entender e tens toda a razão no que me toca te lembro que a maioria da população humana acredita de alguma forma em livros, sejam estes a Bíblia, Corão ou Tora. Não é mesmo assim?

Reiziger escreveu:
...Os crentes são pessoas iguais a si que decidem as coisas da sua própria vida, tal como a Beladona, como muito lhes dá na real gana, não nos tome por estúpidos dominados pela mão viviada da Igreja, porque isso não é uma imposição é uma opção nossa e como tal, volto-lhe a dizer, é feio querer sugerir que a sua moral é melhor que a nossa, que os seus níveis de humanismo são superiores e que as suas posições são mais correctas. Ao faze-lo só se está a prejudicar a si mesma, porque deixa clara a ideia que quem aqui está a tentar impôr seja o que for é a Beladona, não eu nem a Igreja.

Meu caro, não procures limitar os outros, pois creio que ninguém aqui te está a procurar limitar a ti.

Um abraço,

IzNoGuud

P.S. - Peço desculpa pela edição algo tardia na "zona" relativa à Madre Teresa de Calcutá.

_________________
Não ligues ao que os outros dizem. Escuta-os, analiza e reformula o teu próprio pensar.

Que seja essa a tua força.

Cogito Ergo Sum, I Tego Arcana Dei


Última edição por em Qua 29 Ago - 4:41, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://politica-monarquica.naturalforum.net
Beladona



Número de Mensagens : 506
Localização : Algarve
Data de inscrição : 25/09/2006

MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Ter 28 Ago - 12:12

Reiziger escreveu:


Chama-se a isto contrapôr argumentos! A defesa também é um ataque!!!...

É somente a sua opinão, eu não penso assim, mesmo depois de reler as duas notícias aqui dadas.

Reiziger escreveu:


A AI não é uma instituição de cariz religioso, penso que queria dizer humanista.

A AI foi fundada pelo advogado Peter Benenson, um anglicano comunista convertido ao Catolicismo, se não é de cariz religioso o seu fundador era Católico, o que não quer forçosamente dizer que o seja, mas que tenha as suas influências, o que não lhe tira prestígio.

A irresponsabilidade, é a da inflexibilidade do Vaticano para com a situação do Aborto, e que tem todo o direito de a ter, mas não, o de tentar impôr a Instituições e até a Estados independentes das suas leis ou normas (religiosas), que se devem de resumir só aos seus crentes.

Reiziger escreveu:


Ó minha cara amiga, que muito prezo,...

Caro amigo, desculpe o meu desabafo, mas falava na generalidade, sei muito bem que posso contar sempre com a sua paciência e compreensão para comigo. pode crer que o considero e respeito muito as suas opiniões, quer me sejam favoráveis ou não, aliás, todos somos diferentes, por variadíssimas razões e temos o dever de debater as nossas dúvidas, divergências e certezas, e até, porque não, de as rever, isso é salutar e é assim que se aprende. Não podemos ter nunca a ideia de ter certezas quanto ao que julgamos ou não saber, pois às vezes temos surpresas. Aprender até morrer, é uma das minhas máximas, vindas de quem vierem, não sou elitista.

Reiziger escreveu:


Minha cara não faça da sua incompreensão um problema dos outros!

Primeiro já sabe qual a posição da Igreja a respeito do aborto, logo não é novidade. Da mesma forma que a Beladona pensa da forma que pensa, concerteza irá defender a possibilidade de outros acharem exactamente o inverso, isto, claro está, no sentido mais amplo de liberdade de opinião e respeito pela individualidade intelectual.

Segundo se ler nas entrelinhas pode ser que veja a mensagem plena. Não é estimulando o aborto que se resolve o problema do Darfur nem se mitiga a desgraça que o envolve. Se comparar o Darfur a uma doença sistémica, não é por lhe aplicar um enema que resolve a doença. Na melhor das hipóteses vai é cobrir de diarreia uma situação que já é uma verdadeira, passe a expressão, merda.

Pois é, o problema é que é mais fácil tentar apoiar e acompanhar estes povos, que são pessoas sofredoras, do que tentar acabar com algo tão "grande" como as guerras que grassam nesses países, pois há imensos "interesses" ao nível de muitos dos "grandes" deste mundo e não estou a ver que alguma vez vivamos num mundo totalmente em paz.

Reiziger escreveu:


Duma forma velada eu tentei chamar à atenção que aquelas mulheres são muçulmanas. Beladona qual é a sentença para o crime de aborto na cultura muçulmana? Não estará a AI com a sua atitude humanista de mitigação dos males dos pobres, possivelmente, a sentenciar estas mulheres à morte?...


O problema é que essas mulheres já foram marginalizadas e banidas pelos "seus" pelo que lhes aconteceu. Portanto, dentro do mau, um mau um pouco menor e tentando não acrescentar inocentes à miséria já existente, pois os filhos de mulheres banidas socialmente, também o são a partir do seu nascimento.

Quero crer, que a AI terá em atenção a cultura dos países e populações que apoia, caso contrário, não seria tão respeitada em todo o mundo, salvo raríssimas excepções.

Reiziger escreveu:


... Não matem a morte com mais morte, mas defendam o caminho da vida e da paz. Parce-lhe sensível e com sentimentos?


Caro amigo, a frase é bonita, é difícil é de transpôr para a prática, há interesses demais por tráz de uma guerra ou qualquer simples conflito, o mal são os mais fracos que aparecem pelo meio e que são sempre os velhos, as mulheres e as crianças, os mais frágeis, e para esses não podemos de esperar que as guerras e conflitos acabem. Temos isso sim, de os tentar apoiar o máximo possível.

Reiziger escreveu:


A Igreja não reitera a impossibilidade do aborto na situação de risco de vida da mãe.

Olhe que me parece que sim, já li algo algures, e que agora não tenho presente onde, na alturas fiquei até admirada com esta posição.

Reiziger escreveu:


Tambem não vale a pena extrapolar e generalizar, porque estamos a falar do Darfur, de mulheres muçulmanas onde pela sua própria religião e meios económicos, preservativos é o que menos lhes faz falta, mais a mais porque, neste caso, têm de pedir ao violador para o usar.... Rolling Eyes


Os preservativos em casos de violação em guerra, ou não, são algo que não passa pela cabeça de ninguém...

Reiziger escreveu:


Que eu saiba o direito de opinião não está dependente do estado civil nem do rendimento per capita...

Efectivamente, e felizmente, todos nos podemos manifestar, independentemente dos factores sociais que apontou. Mas enquanto nós simples mortais, podemos de expôr, propôr e contrapôr as nossas ideias e opiniões e até chegarmos a alguma conclusão. Há entidades que devido à sua posição social têm de ter responsabilidade com o que dizem publicamente, pois esses ditos ou dizeres são como "leis" para muitos dos seus seguidores. E o simples facto de seguirem ou não essas "leis", pode ser a diferença entre a vida e a morte de uma pessoa que siga cegamente todas as normas religiosas. Por isso mesmo, não podemos ser assim tão permissivos.

Não é o acusar-se a Igreja Católica por não se ser católico, é pôr-se em evidência leis que podem ser nefastas para as pessoas.

Reiziger escreveu:


Ao contrário daquilo que a Beladona pensa, a Igreja e os seus agentes não tentam impôr aos seus crentes eja o que for...

Acha mesmo que a Igreja não tenta impôr as suas normas? Que me lembre, entre outras situações, então porque é que a Igreja avisou os médicos e pessoal afim, ou as pessoas que praticassem a IVG seriam excomungadas?

Reiziger escreveu:


Não conjecture acerca do que não sabe...


Meu caro, sei que a Igreja faz muito por milhares de desvalidos em odo o mundo, o que só lhe fica bem. Mas, também sei que vira as costas a muitas situações por motivos esquisitos e mesquinhos. Tive oportunidade de ver "in loco" numa das ilhas dos Açores onde vivi durante algum tempo, e onde tomei parte no apoio a algumas famílias mais carenciadas dessa ilha, onde várias entidades colaboravam com géneros alimentícios e artigos de vestuário, etc.,e a Igreja também se comprometeu a ajudar, dentro dos seus meios, mas, na condição de os casais serem casados pela Igreja e frequentarem a Missa Dominical, e as crianças serem baptizadas, e na devida altura serem frequentadoras da Catequese,este parecer foi também "falado/quase imposto" com as Assistentes Sociais do lugar, que com é evidente, e num ambiente pequeno em que todos se conhecem,aderiram sem pensar duas vezes, havia até senhoras especialmente incumbidas dessa tarefa, que contabilizavam quem cumpria com os seus deveres religiosos. Houve uma família que deixou de receber apoio porque por motivos de saúde não pôde assistir a várias Missas. Foi uma situação que me chocou, pois era sabido de todos que havia problemas de saúde numa criança daquela família. Tive uma conversa séria com as diversas pessoas afectas à Igreja e Segurança Social, e sinceramente, o que é raro em mim, passei-me dos carretos, e enquanto essa família não recebeu o que tinha direito, não descansei, tendo ficado temporariamente a meu cargo.

Reiziger escreveu:


Como pode a Beladona julgar ou tecer comentários sobre as crises de Fé da Madre Teresa de Calcutá pela leitura de 4 frases, em excerto, numa motícia de Jornal...

Meu caro, ficarei à espera que saia o livro, depois prometo que o aviso da saída do mesmo. Já há muito que li em diversas partes, frases de desolação da Madre Teresa de Calcutá, perante a indiferença do papa aos seus pedidos de apoio, não soube só agora...

Reiziger escreveu:


A Beladona tem o típico discurso de não querer ter a sua vida ditada pela Igreja...


A Beladona habituou-se desde muito criança a ver as duas faces da Igreja Católica(se assim o podemos dizer), e a ter de viver com elas, porque foi aceite e educada num Colégio de Irmãs religiosas (único colégio no lugar), que a aceitaram como aluna perante os seus pais não católicos, e que por isso mesmo, fizeram questão de o sublinhar às mesmas..., só lhe posso dizer que passei lá uns maus bocados, não é minha intenção em me alongar muito sobre este assunto que já está mais que sanado no meu íntimo. Mas, não deixo de lhe dizer, que só eu dito a minha vida, e assim como não admito interferências externas na minha vida pessoal, assim também respeito de igual maneira a vida dos outros, assim como entidades de diversos níveis, etc., etc. Portanto, não dou palpites, pois quem sou eu para o fazer, mas posso ter opinião e dá-la.

Reiziger escreveu:


Os crentes são pessoas iguais a si que decidem as coisas da sua própria vida,...


Óptimo, é claro que os crentes e não crentes são todos iguais e que as moralidades de ambos são boas ou más, conforme os diversos factores vividos por todos nós, agora, está muito longe de mim ter a veleidade de apontar alguém de ser menos correcta ou moral, ou humanista que eu, por ser isto ou aquilo, não é da minha índole e até mesmo, quem sou eu para o fazer? Peço desculpa se não me fiz entender, não era essa a minha intenção.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?   Hoje à(s) 17:12

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Eutanásia/Aborto-Sim ou Não?
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 12 de 13Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... , 11, 12, 13  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Irmão Lourival, fiquei muito curioso em saber sua opinião: quem conhece e pratica o Evangelho de Cristo pode ser a favor do aborto, assim como 76% da IURD?
» Aborto e Canibalismo, tudo a ver. Então entendi... Aborto, fim da Fome, dinheiro no bolso, etc... e o Diabo ganhando espaço.
» O empresário e pró-abortista Bispo Edir Macedo estaria comprando um Hospital. Será que é para fazer Aborto?
» Mulher gera bebê fora do útero e criança sobrevive Embora a gestação tenha colocado mãe e filha em risco de morte, a grávida se recusou a fazer um aborto

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Porque a Monarquia também é Política :: Visões Políticas :: Nada de Politiquices-
Ir para: