Um espaço de Debate, Um formular de ideias
 
InícioInício  PortalPortal  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 "Sucessão"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte
AutorMensagem
encoberto

avatar

Número de Mensagens : 34
Idade : 54
Localização : Vila Real
Data de inscrição : 31/10/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Qui 23 Nov - 7:59

Caro IzNoGuud

Em relação ao seu post sobre a sucessão de A e de B


IzNoGuud escreveu:
Um bem hajam,

Creio que tenha de me retratar.

Pois começo a pensar quanto aos meus últimos posts que cometi um erro de interpretação e assim peço que me corrijam, ou não, de modo a que eu possa corrigir os mesmos textos.

No caso da Sucessão, quando não há linha varonil esta passa para a linha feminina.

No caso de A ser homem e ter como Irmão B e como filha c, sendo que B tem como filho d.

A Linha de Sucessão seria:

a) A para c, e se c não tivesse descendência então passaria para B e subsequentemente para d.

ou b) A para B e subsequentemente d, pois c por ser mulher estaria arredada da linha de sucessão, excepto se d não tivesse descendência.

Eu estava a perceber que seria a alínea b) mas agora fiquei com dúvidas.
Corrijam-me por favor.

Um bem hajam,

IzNo

A opção a) é a opção existente em terras ibéricas, sem Lei Sálica, e a opção b) é na terra dos bárbaros, com a Lei Sálica e, nesta, nunca mulher poderia herdar o trono, por isso c nunca estaria na linha de sucessão.


Um abraço,

Joaquim Filipe
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://amt.no.sapo.pt
RosaLati
Convidado



MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Qui 23 Nov - 8:24

Considero, hoje em dia, completamente ridiculo a sucessão pela linha varonil . Se não existem desigualdade entre sexos, porque se haveria de abrir uma excepção na Lei da Sucessão. Considero que a sucessão passará sempre para o filho mais velho, independentemente do sexo e que este tem também o direito de escolher se deseja reinar ou não. Se não desejar reinar, passará para o irmão mais velho que o segue.

Bem Hajam
Voltar ao Topo Ir em baixo
David Garcia

avatar

Número de Mensagens : 88
Idade : 38
Data de inscrição : 31/08/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Qui 23 Nov - 8:29

RosaLatina escreveu:
Considero, hoje em dia, completamente ridiculo a sucessão pela linha varonil . Se não existem desigualdade entre sexos, porque se haveria de abrir uma excepção na Lei da Sucessão. Considero que a sucessão passará sempre para o filho mais velho, independentemente do sexo e que este tem também o direito de escolher se deseja reinar ou não. Se não desejar reinar, passará para o irmão mais velho que o segue.

Bem Hajam

Concordo absolutamente consigo. A Monarquia tem que se adaptar ao século XXI e não reservar apenas o Trono para os homens. Hoje em dia, nenhum país tomaria conta de outro, como acontecia no Feudalismo, se por exemplo um ou uma Herdeiro (a) do Trono de Portugal se casasse com um ou uma herdeiro (a) do Trono espanhol, isso não iria de modo algum pôr em causa a Independência Nacional, porque à luz do Direito Internacional, o Feudalismo e as chamadas Monarquias Compósitas, isto é, um mesmo Rei para dois países distintos, é efectivamente impossível de acontecer.
Caso isso houvesse um matrimónio desses, por hipótese (que a meu ver é cada vez mais remota, porque hoje em dia os principes já se casam com plebeus e por amor e não por imposições diplomáticas), o Herdeiro ou Herdeira do Trono de Portugal, poderia perfeitamente seguir o que o seu coração lhe diz em termos de amor, e abdicar do Trono no seu parente mais próximo, tendo em conta as normas da Sucessão Dinástica do seu país, explicitas na Constituição.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://monarquia-portugal.forumactif.com
RosaLati
Convidado



MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Qui 23 Nov - 12:04

Plenamente de acordo. Muitas vezes falamos das familias monárquicas esquecendo-nos da sua responsabilidade pesada . Se reinam, é por amor à Pátria, pois aos reinarem, são sempre alvo de uma vida pública em detrimento de uma vida privada recatada . Existe uma frase de D.Duarte que espelha bem esta situação, embora não me recorde da mesma na integra, julgo que se assemelha com “ Reinar não e um direito, mas antes um dever”. O caro David, faça a gentileza de me corrigir, se não reproduzi a frase, na sua total fidelidade .

Agradecida, um bem Haja
Voltar ao Topo Ir em baixo
David Garcia

avatar

Número de Mensagens : 88
Idade : 38
Data de inscrição : 31/08/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Qui 23 Nov - 12:07

RosaLatina escreveu:
Plenamente de acordo. Muitas vezes falamos das familias monárquicas esquecendo-nos da sua responsabilidade pesada . Se reinam, é por amor à Pátria, pois aos reinarem, são sempre alvo de uma vida pública em detrimento de uma vida privada recatada . Existe uma frase de D.Duarte que espelha bem esta situação, embora não me recorde da mesma na integra, julgo que se assemelha com “ Reinar não e um direito, mas antes um dever”. O caro David, faça a gentileza de me corrigir, se não reproduzi a frase, na sua total fidelidade .

Agradecida, um bem Haja

É mesmo essa frase. Aliás acho até que a poderá ouvir se fôr ao site: www.lusitana.org e ouvir a Entrevista do Senhor Dom Duarte dada à TSF em finais de Janeiro deste ano.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://monarquia-portugal.forumactif.com
RosaLati
Convidado



MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Qui 23 Nov - 12:25

Muito agradecida pela informação, Caro David.

Bem Haja
Voltar ao Topo Ir em baixo
David Garcia

avatar

Número de Mensagens : 88
Idade : 38
Data de inscrição : 31/08/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Qui 23 Nov - 12:26

RosaLatina escreveu:
Muito agradecida pela informação, Caro David.

Bem Haja

Sempre que me fôr possível, disponha Wink
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://monarquia-portugal.forumactif.com
encoberto

avatar

Número de Mensagens : 34
Idade : 54
Localização : Vila Real
Data de inscrição : 31/10/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Qui 23 Nov - 20:00

Caríssimos Rosa Latina e David Garcia

As vossas últimas participações (das 15:24 e das 15:29, respectivamente), vêm mesmo a calhar. Pressuponho que apoiarão esta resposta a IzNoGuud que terá escrito isto:

IzNoGuud escreveu:
De facto não conheço nenhum membro mais próximo de D. Manuel II do que D. Duarte Pio, seja este homem ou mulher. Mas como aparentar ser, neste caso mulher, a acreditarmos nas palavras do amigo, então nesse caso continuaria a ser irrelevante a existência dessa Senhora, visto a Sucessão ser atribuída ao Varão, mesmo que mais afastado na linha Sucessória. Sendo que somente aquando da não existência de Varões é que está contemplada a atribuíção da Sucessão a Senhoras. Como o amigo muito bem sabe.

Caro IzNoGuud

Não, não sei ao que se refere, pois a regra de sucessão é a exposta abaixo e não esse mito da exclusão das mulheres.

A senhora em questão está um grau acima de DP (é tia), por isso, e segundo o direito consuetudinário, expresso nas constituições monárquicas:

Sua Descendência legítima sucederá ao Trono, segundo a ordem regular da Primogenitura, e Representação, preferindo sempre a linha anterior às posteriores; na mesma linha o grau mais próximo ao mais remoto; no mesmo grau o sexo masculino ao feminino; no mesmo sexo a pessoa mais velha à mais moça.

Deve ser a Senhora Dona Adelaide, segundo os argumentos que apresentam do Direito Consuetudinário para DP, a “Herdeira”. Só depois de radicada a sucessão em uma linha, com reconhecimento oficial pelas Cortes Gerais e, portanto, em Monarquia, é que as normas gerais da lei de sucessão passarão a fazer-se de pai para filho, até lá está a decorrer a regra colocada anteriormente (a vermelho).

Se os caríssimos RosaLatina e David Garcia são assim tão defensores da igualdade da mulher ao homem em matéria de sucessão, têm agora um caso real para demonstrar que não estavam a ser hipócritas ao defenderem tal posição.

RosaLatina escreveu:
“Considero, hoje em dia, completamente ridiculo a sucessão pela linha varonil . Se não existem desigualdade entre sexos, porque se haveria de abrir uma excepção na Lei da Sucessão. Considero que a sucessão passará sempre para o filho mais velho, independentemente do sexo e que este tem também o direito de escolher se deseja reinar ou não.”


David Garcia escreveu:
“Concordo absolutamente consigo. A Monarquia tem que se adaptar ao século XXI e não reservar apenas o Trono para os homens.”


Caro IzNoGuud

Noutro tema:

IzNoGuud escreveu:
Agora, a questão não é esta. Mas sim SE se pode efectuar essa alteração às Leis da Sucessão em vigor. SE aceitamos que a República, presente Regime em Portugal, tenha autoridade para revogar a Lei que impedia que os descendentes de D. Miguel pudessem regressar a Portugal (e da mesma forma "candidatar-se" a uma Pretensão ao Trono), então de igual forma teriamos de aceitar que esta possa legislar relativamente a questões de Sucessão ou outros casos relativos à Monarquia.

É extremamente perigoso para os DPianos, que a República intervenha, mas os senhores lá sabem. Muda o Governo e, logo este passará a ser um dos temas a alterar bastando para isso que se aperceba, através das sondagens, que a franja do eleitorado que receba isso como boa notícia, apoie o futuro governo. No entanto, também é dar legitimidade à República por não ter reconhecido a nacionalidade a DN.

IzNoGuud escreveu:
Será tal correcto, ser a República a efectuar tal alteração? Sinceramente não o sei, mas foi igualmente a República que permitiu com a revogação das Leis do Banimento e Proscrição que a descendência de D. Miguel fosse hoje tida como herdeira presuntiva de D. Manuel II.

Isto vem demasiado tarde como o próprio IzNoGuud algures reconheceu, pois em 1932, segundo os argumentos dos DPianos, a sucessão já estaria radicada em Dona Constança.

IzNoGuud escreveu:
Como se chamará a uma Lei de base Sálica, onde ao invés de se passar para o varão de uma outra linha caso a real não tenha qualquer varão, se encontra o subterfúgio de se passar então para uma mulher da mesma linha se a real não tiver varões? É um subterfúgio ou não? Não se pode chamar a ambos os casos de Lei Sálica, creio.

Isto que expôs não se verificava, ou havia inclusão das mulheres na linha de sucessão ou não, se havia estas herdavam como os homens, tendo estes só primazia. IzNoGuud até nos lembrou D. Beatriz, ora, se existisse exclusão, não seria esperado que sucedesse a D. Fernando.

IzNoGuud escreveu:
2º É errado assumir que aquando da instituição do Estado Novo, que as Leis do Banimento e Proscrição tivessem perdido o enquadramento legal. Seria o mesmo que dizer, que aquando do 25 de Abril, o revogamento destas mesmas leis teriam igualmente perdido o enquadramento legal, logo poder-se-ia hoje afirmar que as mesmas ainda estariam em vigor.

É muito perigoso reconhecer, ou dar a entender à República, que esta tem legitimidade para interferir na “Sucessão” (com aspas, pois este assunto é do MBPIP). Passam os DPianos a estar nas mãos da República sendo isso, mais tarde aproveitado por grupos rivais, de pactuamento com a República, à semelhança de Miguel de Vasconcelos com os espanhóis. “Quem me avisa meu amigo é”.

Afinal, acerca dessa vossa ilação de que a República reconhece DP como “legítimo herdeiro” isso saiu no Diário da República? Ou, num outro texto oficial? Será que não há uma cópia que possam expô-la aqui?


Com os meus melhores cumprimentos,

Joaquim Filipe
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://amt.no.sapo.pt
David Garcia

avatar

Número de Mensagens : 88
Idade : 38
Data de inscrição : 31/08/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 3:54

Caro Encoberto, consulte uma Árvore Genealógica dos descendentes do Rei Dom Miguel I.

A Infanta Dona Maria Adelaide, mãe de D. Francisco de Bragança Van Uden, é a tia mais nova do Senhor Dom Duarte.
Não nasceu antes do Senhor Dom Duarte Nuno, mas sim, depois.

Sendo assim, está encontrado do Chefe da Casa Real Portuguesa: Sua Alteza Real, o Senhor Dom Duarte Pio João Miguel Rafael Gabriel de Orleães e Bragança. Wink
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://monarquia-portugal.forumactif.com
encoberto

avatar

Número de Mensagens : 34
Idade : 54
Localização : Vila Real
Data de inscrição : 31/10/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 5:24

Caro David Garcia

Isso é que era bom, mas como toda a gente sabe a linha de sucessão ainda não está radicada em ninguém, não houve aclamação, portanto está tudo em aberto. A não ser que se considere a almoçarada em Santarém, no ano de 1932, a aclamação de DN, onde se aclamou um fora da lei. E a de DP onde foi?

No entanto, pode haver pretendentes sem que tenham quaisquer direitos à partida, mas segundo os vossos argumentos de recorrerem ao direito consuetudinário, então o pretendente que deveriam propor seria Dona Adelaide, e quando esta falecer, é que passam para o grau seguinte e dentro deste, primeiro o masculino mais velho.

Os senhores falam como se já estivesse tudo decidido e a aclamação de DP tivesse que ser uma obrigação das Cortes Gerais. Devem pensar que Portugal é um quintal que se pode deixar em herança, este comportamento nem no absolutismo.

Pensem no seguinte: e se as Cortes Gerais não aclamarem DP apesar de se arrogar pretendente? Como vai ser? Continuaria a ser “S.A.R.”? Atenção, que um tombo destes deixa muitas marcas.

Afinal, aparece algum texto a confirmar que a República reconheceu DP como “legítimo herdeiro”? Será mais um texto como os dos Pactos de Dover e de Paris?

Se existir, exponham-no. Ou, foi mais um acordo de cavaleiros e foi tudo de boca?

Cordialmente,

Joaquim Filipe
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://amt.no.sapo.pt
RosaLati
Convidado



MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 5:29

Caro, Encoberto, para que não haja dúvidas, referi, ACTUALIDADE, não me referi a passado histórico. Nunca se devem misturar as épocas . Se há cem anos fazia sentido, a sucessão ser feita por linha varonil, de acordo com a sociedade e mentalidades da altura, numa Monarquia implantada hoje, já não fará sentido . Nunca opinaria sobre o passado com olhos de século XXI .
Se a título de exemplo eu afirmasse que seria ridículo as mulheres hoje não votarem, consideraria também que a minha afirmação se poderia reportar, ao facto das mulheres não votarem em tempos idos?


Bem haja
Voltar ao Topo Ir em baixo
encoberto

avatar

Número de Mensagens : 34
Idade : 54
Localização : Vila Real
Data de inscrição : 31/10/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 5:48

Cara Rosa Latina

Como deve saber, há hoje situações em países insuspeitos de serem atrasados ou ligados a monarquias, como a terra original de David Garcia e de DP, onde as mulheres, pelo menos em alguns Catões não votavam e quando há pouco tempo (pouquíssimos anos) lhes foi dado a hipótese de votarem estas não viram isso com bons olhos. Por outro lado, deve saber que em plena Idade Média, no período tenebroso do Feudalismo, e em França, as mulheres já votavam principalmente quando tinham a maravilhosa oportunidade de escorraçar os seus presidentes de Câmara e poderem optar pelos administradores do rei. O “antigamente” (Idade Média), é muito diverso, e é pena que seja utilizado como arma política, ainda por cima por quem é Dr. em História, para denegrir argumentos utilizando a expressão «não estamos na Idade Média».

Por outro lado, termos como “ridículo” a serem usados como argumentos, não fica bem quando a solicitação é que haja uma discussão mais elevada. Com certeza que encontrará os argumentos certos para justificar as suas posições sem necessidade de recorrer a adjectivos pejorativos. Na discussão se as mulheres devem ou não serem incluídas na linha de sucessão em igualdade com os homens, repare que eu não me manifestei contra ou nem a favor.

Em relação, à ACTUALIDADE, é de facto neste tempo, hoje, que podem justificar a pretensão de Dona Adelaide, quer mais actual do que isto?

Amistosamente,

Joaquim Filipe
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://amt.no.sapo.pt
RosaLati
Convidado



MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 7:00

A minha alusão, referiu-se única e exclusivamente a Portugal e não aos usos e costumes de outros países.
No que concerne ao termo “ridículo”, empreguei-o para retractar uma situação e não uma pessoa, não lesando desta forma, nenhum cidadão .
No que se refere ao tema sucessão, como já referi também, o caso encontra-se mais que encerrado e devidamente legislado . Pode questionar que foi a República quem legislou. Correcto e quem acha que um dia elegerá um Rei? Não será certamente a actual minoria monárquica, será a maioria republicana . Poderá questionar. Republicanos não elegem Reis . Se calhar elegem, pois não obstante se sentirem em sintonia com o regime Republicano, são cada vez mais, os que desejam o país representado por um símbolo da nossa história e consequentemente com uma cabeça coroada . O livro do filósofo Agostinho da Silva, “Viva o Rei, Viva a República”, espelha muito fielmente o sentimento da nossa sociedade . O Chefe da Casa Real Portuguesa, pela sua postura, democrática, pela sua modernidade, tem vindo a conquistar de uma forma indiscritível, a população portuguesa .

Cordiais Cumprimentos
Voltar ao Topo Ir em baixo
David Garcia

avatar

Número de Mensagens : 88
Idade : 38
Data de inscrição : 31/08/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 7:12

Caro Encoberto;

Em primeiro lugar, devo lhe dizer que não sou suíço nem nasci na Suíça, mas sim em Portugal, no Concelho de Sintra e tenho muito orgulho nisso.

Por outro lado, toda a gente sabe que Sua Alteza Real o Senhor Dom Duarte nasceu em território Português - compre o livro "Dom Duarte e a Democracia" e terá lá muita informação útil para esclarecer as suas dúvidas.

Agora linha de Sucessão, tendo como fonte o Genea Portugal, isto relativamente ao facto de o Encoberto insistir que a Infanta Dona Maria Adelaide nasceu antes do Senhor Dom Duarte Nuno....

Descendência de Dom Miguel (II), filho do Rei Dom Miguel I:

Filhos do Casamento I:
D. Miguel de Bragança, 6º duque de Viseu * 1878 cc Anita Stewart cs
D. Francisco José de Bragança, infante de Portugal * 1879 nc ss
D. Maria Teresa de Bragança, infanta de Portugal * 1881 cc Carlos Luis, príncipe de Thurn e Taxis cs
Filhos do Casamento II:
D. Isabel Maria de Bragança, infanta de Portugal * 1894 cc Francisco José, príncipe de Thurn e Taxis cs
D. Maria Benedita de Bragança, infanta de Portugal * 1896 nc
D. Mafalda de Bragança, infanta de Portugal * 1898 + 1918 nc
D. Maria Ana de Bragança, infanta de Portugal * 1899 cc Carlos Augusto, príncipe de Thurn e Taxis cs
D. Maria Antónia de Bragança, infanta de Portugal * 1903 cc Ashley S. Chanler cs
D. Filipa de Bragança, infanta de Portugal * 1905 + nc
D. Duarte Nuno, duque de Bragança * 1907 cc D. Maria Francisca de Orleans e Bragança, princesa do Brasil cs
D. Maria Adelaide de Bragança, infanta de Portugal * 1912 cc Nicolau van Uden cs

Alguma dúvida?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://monarquia-portugal.forumactif.com
encoberto

avatar

Número de Mensagens : 34
Idade : 54
Localização : Vila Real
Data de inscrição : 31/10/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 9:30

Cara Rosa Latina

A questão da utilização de adjectivos pejorativos como argumento é que deve ser substituída por fundamentos válidos, e o mais possível objectivos, para que melhor funcionem para justificar as nossas pretensões de desejarmos uma monarquia. Será até um muito bom exercício o de, por vezes, rebuscarmos argumentos esquecidos, para justificarmos uma Causa. Assim, afastamo-nos dos republicanos que à falta deles utilizam a mordacidade e o ridículo para combater o adversário. De maneira nenhuma, me estava a referir que os tenha utilizado contra alguém, isso é para mim que sou um mal-educado e nunca para uma Senhora como Rosa Latina. Não me entenda mal.


Em relação a isto:

RosaLatina escreveu:
No que se refere ao tema sucessão, como já referi também, o caso encontra-se mais que encerrado e devidamente legislado .

Sempre apareceu algum texto? Onde está tal legislação? Continuo a perguntar senão será mais um texto como o do pacto de Dover?

Cordialmente,

Joaquim Filipe
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://amt.no.sapo.pt
encoberto

avatar

Número de Mensagens : 34
Idade : 54
Localização : Vila Real
Data de inscrição : 31/10/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 10:33

Caro David Garcia

Quando me referi à nacionalidade foi porque sempre pensei que era da terra de origem de DP e pelos vistos era da terra de residência de DP. Daí a minha confusão, azares de conversas virtuais. Desculpe-me e agradeço-lhe o esclarecimento.

Em relação a Dona Maria Adelaide, quero dizer-lhe que conheço pessoalmente alguns filhos e que o marido, o falecido Prof. Doutor Nicolau van Uden, era professor dos meus Orientadores, por isso, não é do Genea que conheço esta Família, e, como tal sei perfeitamente que, embora, sendo irmã mais nova de DN, de maneira nenhuma e segundo a vossa argumentação de recorrência ao Direito Consuetudinário, está excluída sendo, actualmente, quem detém os “Direitos dinásticos”. A seguinte regra:

Sua Descendência legítima sucederá ao Trono, segundo a ordem regular da Primogenitura, e Representação, preferindo sempre a linha anterior às posteriores; na mesma linha o grau mais próximo ao mais remoto; no mesmo grau o sexo masculino ao feminino; no mesmo sexo a pessoa mais velha à mais moça.

está a decorrer e só pára quando se fixar num elemento que seja aclamado (ou, já agora, reconhecido pela República), até lá, ninguém pode dizer que é “S.A.R.” e muito menos “herdeiro presuntivo” ou “príncipe real”.

O vosso argumento é que já se teria fixado a sucessão em DN, nas Cortes Gerais de Santarém em 1932, quando este fora da lei se teria deixado “aclamar”. Isto segundo os vossos argumentos de que a Lei do Banimento só teria sido abolida pela República em 1950.

Se se deixou aclamar deveria ser tratado por “S.M.F. D. Duarte II”, isto com toda a clareza e sem os subterfúgios de “Duarte (II)” ou de “S.A.R. D. Duarte (II)”. E neste caso deveriam ter tido umas Cortes Gerais onde tivessem aclamado também DP. Como nada disto aconteceu, continua a decorrer a regra até se fixar em alguém, quer com a ajuda da República ou não.

Então, já encontrou o texto oficial onde a República reconhece DP como o que quer que seja? Venha de lá esse texto, ou será que é mais um “pacto de Dover”?

Cordialmente,

Joaquim Filipe
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://amt.no.sapo.pt
David Garcia

avatar

Número de Mensagens : 88
Idade : 38
Data de inscrição : 31/08/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 11:13

Eu já expliquei o que havia para ser explicado neste Fórum sobre a Sucessão.

Em relação a esta matéria, não voltarei a tecer qualquer comentário. Porque isto já não é debate mas sim suposições que a meu ver irão levar ao mesmo que aconteceu no Fórum Monarquia-Portugal. Uns deturpam os argumentos dos outros e desta vez não pega, mesmo.

O Encoberto fique com as suas ideis e argumentos, tem a liberdade de os dizer, todavia, não correspondem à verdade dos factos.

Neste Fórum estou pronto para debater assuntos que sejam "debatíveis" e não discutir fantasias.

Saudações Monárquicas
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://monarquia-portugal.forumactif.com
RosaLati
Convidado



MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 12:03

encoberto escreveu:
Cara Rosa Latina

A questão da utilização de adjectivos pejorativos como argumento é que deve ser substituída por fundamentos válidos, e o mais possível objectivos, para que melhor funcionem para justificar as nossas pretensões de desejarmos uma monarquia. (...)

Em relação a isto:

RosaLatina escreveu:
No que se refere ao tema sucessão, como já referi também, o caso encontra-se mais que encerrado e devidamente legislado .

Sempre apareceu algum texto? Onde está tal legislação? Continuo a perguntar senão será mais um texto como o do pacto de Dover?

Cordialmente,

Joaquim Filipe

Caro Encoberto

Relativamente ao primeiro paraparágrafo, relembro - o que para nós a questão fulcral, é o respeito por todos os cidadãos. Relativamente à forma de se postar, até pode ser feita em linguagem cibernauta .

No que concerne à segunda questão, deixo-lhe aqui o link e cópia da notícia, publicada pelo CM, não obstante qualquer dúvida puder ser tirada junto ao site da Assembleia da República .
O GOVERNO LEGITIMA E DEFENDE D.DUARTE DE BRAGANÇA

Jornal "Correio da Manhã" - 07 de Setembro de 2006

http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=213893&idselect=90&idCanal=90&p=200

O Ministério dos Negócios Estrangeiros constituiu advogado contra Rosário Poidimani

O Governo da República resolveu interferir na velha questão de quem é o legítimo herdeiro e sucessor ao trono de Portugal, optando por D. Duarte Pio, duque de Bragança. Além disso, decidiu agir contra Rosário Poidimani, que se arroga também herdeiro da Casa Real Portuguesa, porque “a sua actuação em Itália se revelou lesiva para o bom nome e honra de Portugal”.

Em carta datada de Julho deste ano e dirigida ao advogado Romeu Francês, defensor de Rosário Poidimani, o Departamento de Assuntos Jurídicos do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) fundamenta o reconhecimento de D. Duarte Pio como legítimo herdeiro da Casa Real Portuguesa pelo “reconhecimento histórico e da tradição do Povo Português”; pelas “regras consuetudinárias da sucessão dinástica”; e pelo “reconhecimento tácito das restantes casas reais da Europa e do Mundo com as quais a legítima Casa de Bragança partilha laços de consanguinidade”.

Acresce ainda que com base nesse reconhecimento, o Estado confere a D. Duarte representatividade política, histórica e diplomática porquanto afirma no citado documento a que o CM teve acesso, que os duques de Bragança “são várias vezes enviados a representar o Povo Português em eventos de natureza cultural, humanitária ou religiosa no estrangeiro, altura em que lhes é conferido o passaporte diplomático”. O documento nega que o Estado esteja a pagar qualquer habitação a D. Duarte, mas nada diz quanto ao suporte financeiro para financiar os serviços prestados em nome de Portugal.(...)

Como já afirmei e reafirmei, não debato questões de sucessão e se, se considera, um verdadeiro monárquico, lute primeiro por uma recolha de assinaturas que levem a anular o artigo da Constituição Portuguesa que proíbe o regime monárquico em Portugal . Esse sim, era um grande passo .

Claro que se desejar, poderá continuar a apresentar mais legítimos candidatos ao trono, mas para que as pretensões desses candidatos venham a sortir algum efeito, deveriam ser canalizadas, para a Assembleia da República, a única que terá poder para analisar e decidir sobre o tema em questão .
Bem Haja
Voltar ao Topo Ir em baixo
Valdez



Número de Mensagens : 23
Data de inscrição : 24/11/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 14:04

Cara Rosa Latina,

Esse dito parecer do MNE, não tem qualquer validade juridica e se quem agora o levanta de braço estendido fosse mais dotado e habilitado do ponto de vista da jurisprudencia, sabe que o MNE está numa camisa de 7 varas.

Por esse mesmo motivo estão à 2 meses para me responder sobre a fundamentação juridica do mesmo parecer, aliás já existe uma resposta do Ministério dos assuntos parlamentares que remata secamente dizendo que aqui o burgo é uma républica e ponto final.

Como diz o ditado " à mulher de Cezar não basta ser é preciso parecer" neste caso está a parecer sem ser e a seu tempo se verá quem é.....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
encoberto

avatar

Número de Mensagens : 34
Idade : 54
Localização : Vila Real
Data de inscrição : 31/10/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 14:22



Devem estar a referir-se a este documento, com data de 24 de Outubro, será? É possível que o vosso contentamento esteja neste documento?
Não vejo por cá nada do que vem no Jornal, e os DPianos vêem?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://amt.no.sapo.pt
crlsmadeira



Número de Mensagens : 1
Data de inscrição : 24/11/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 14:53

Caro Encoberto

muito bem !

Verdade!

"Não vejo por cá nada do que vem no Jornal,..." tambem eu !

Um abraço.

Crls Madeira
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
encoberto

avatar

Número de Mensagens : 34
Idade : 54
Localização : Vila Real
Data de inscrição : 31/10/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 15:06

Caro CrlsMadeira

Parece que há mais um documento, um parecer do MNE, mas se existe porque não o põem à disposição de todos, não lhe parece?

Estou a ver que de facto é mais um "Pacto de Dover" que também ninguém viu.

Um abraço,

Joaquim Filipe
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://amt.no.sapo.pt
Longair

avatar

Número de Mensagens : 402
Data de inscrição : 29/08/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sex 24 Nov - 18:02

Boas a todos os participantes, desculpem a minha ignorançia no assunto mas afinal pergunto, seram as leis républicanas a legitimar um futuro e possivel rei monarquico, sucessor de D. Manuel II, mas afinal, além de D. manuel II , D. Carlos não teria mais nenhum descendente para suceder a D. Manuel II, e afinal, quem legitima, quem se pode ou não sentar na mais alta cadeira de Portugal, será o povo uma mera montra para nobre menosprezar e clero explorar, qual foi o Rei que alguma vez foi ungido por deus ou por uns meros apoiantes de uma causa, não sera eleito o maior representante emblematico da nação aquele que faz do povo a sua causa Smile
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Beladona

avatar

Número de Mensagens : 506
Localização : Algarve
Data de inscrição : 25/09/2006

MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   Sab 25 Nov - 6:09

Caro amigo Longair

De facto,eu sou apologista de que como as coisas estão presentemente e depois de ler os posts dos meus caríssimos confrades e as suas legítimas e diversas opiniões sobre o tema,independentemente de quem tenha razão ou não.

Na minha muito modesta opinião sou a favor de que se deveria de partir da estaca zero,ou seja,eleger um novo rei por Sufrágio Universal,dar-se ao povo o poder de escolher o seu rei de entre os pretendentes que tenham como provada a sua origem.

A Monarquia sendo reimplantada,ao ter este gesto para com o seu povo,mostraria que vive um presente em democracia e respeito para com todos nós.

Um abraço da Beladona
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
JTMB



Número de Mensagens : 111
Data de inscrição : 09/11/2006

MensagemAssunto: Vou-me embora   Sab 25 Nov - 10:29

Caros Moderadores

Quero informar que em virtude de este espaço permitir propaganda rosariana, com a qual não me consigo identificar, deixo de participar no mesmo.

Consigo fácilmente admitir que se um dia a Monarquia fôr restaurada, o futuro Rei terá de ser confirmado pelas Côrtes e pelo Povo Português. Consigo até aceitar, embora com muito custo, que para alguns Portugueses (muito poucos) possa existir mais do que um pretendente ao Trono de Portugal. O que não consigo aceitar, nem nunca conseguirei, é que alguém com juizo, considere o tal famigerado rosario como possivel candidato ao Trono dos nossos maiores. Considero essa palhaçada uma traição, e como quem está mal...muda-se, eu retiro-me, não sem desejar as maiores felicidades para este espaço. Se algum dia tiverem a coragem de impedir que se fale sequer nesse personagem mafioso então voltarei a participar. Um espaço que compactua, permitindo a propaganda a tão sinistro personagem, não é certamente o meu espaço.

Cumprimentos


José Tomaz de Mello Breyner
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: "Sucessão"   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
"Sucessão"
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 4 de 10Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Porque a Monarquia também é Política :: Visões Políticas :: Porque a Monarquia também é Política-
Ir para: